Problemas de abertura na África do Sul alertam Fifa após atrasos em São Paulo

Valcke diz que lições com Mundial de 2010 serão importantes antes de jogo inaugural na Arena Corinthians em junho

Bruno Winckler - iG São Paulo* |

A abertura de uma Copa do Mundo atrai uma atenção naturalmente maior e mais especial do que as outras partidas da primeira fase do torneio. Por isso, a Fifa tem tomado uma postura de alerta em relação ao que acontece em São Paulo a menos de cinco meses do jogo entre Brasil e Croácia, dia 12 de junho. As lições da África do Sul em 2010 ainda estão vivas para a entidade.

Corinthians e Fifa afirmam que estádio da abertura tem 97% das obras concluídas

"A pressão é a mesma para todos os jogos, mas talvez um pouco maior aqui porque será a abertura. Não falo só pelo encontro entre Brasil e Croácia, mas tem de ser sucesso em termos de organização. A África teve muitos problemas no começo por falta de coordenação entre alguns departamentos de segurança no jogo de abertura e aprendemos a lição", comentou Jerôme Valcke, secretário-geral da Fifa, após vistoria no estádio corintiano na segunda-feira.

A Arena Corinthians, palco da abertura da Copa do Mundo de 2014. Foto: Nelson Antoine/APOperários da Arena Corinthians trabalham em área afetada pela queda de guindaste. Foto: Nelson Antoine/APJerome Valcke e Aldo Rebelo visitam a Arena Corinthians ao lado de Antonio Gavioli, diretor da Odebrecht. Foto: Nelson Antoine/APValcke vistoria a Arena Corinthians, palco da abertura da Copa de 2014. Foto: Nelson Antoine/APA Arena Corinthians passou por vistoria da Fifa. Foto: Nelson Antoine/AP

Em 11 de junho de 2010, o maior problema no dia da abertura da Copa entre África do Sul e México no Soccer City foi o trânsito de Joanesburgo. Linhas especiais de ônibus foram criadas para levar os torcedores do centro da cidade ao estádio Soccer City, mas não evitaram que uma parte considerável das pessoas optasse por ir de carro até o local.

Valcke diz que Itaquerão deveria estar pronto, mas confia em eventos testes

Com o excesso de veículos e a má sinalização a respeito dos bloqueios e locais de estacionamento, horas antes do início da partida entre África do Sul e México o entorno do estádio já estava com todos os acessos congestionados. O problema refletiu em uma grande quantidade de assentos vazios nas arquibancadas, embora os ingressos para o jogo estivessem esgotados meses antes.

A vice-prefeita de São Paulo, Nádia Campeão, acompanhou a visita de Valcke e reafirmou que as obras viárias no entorno do estádio de ligação da Avenida Jacu-Pêssego à Radial Leste estarão concluídas antes da Copa. Pesa a favor de Itaquera o fato de a linha vermelha do metrô atender muito bem à região do estádio. Em dia de jogos, a estação Corinthians-Itaquera ficará fechada e os torcedores deverão seguir a pé da estação Artur Alvim, a menos de um 1km do estádio. 

Entre 15 de abril, prazo dado pela Fifa para a conclusão do estádio, e 12 de maio, data em que a entidade passará a ter a "posse provisória" da Arena Corinthians até o final do Mundial, o Corinthians deve realizar até três jogos testes para avaliar as principais necessidades para a abertura em junho. 

Leia também: Custo de obras sobe até 166% e três estádios estão atrasados

Ainda que em São Paulo as obras de infraestrutura estejam dentro que previa o cronograma, projetos de transporte público em várias cidades foram abandonados ou tiveram sua dimensão reduzida desde 2010, ano em que foi lançado a Matriz de Responsabilidades para a Copa. Dos 109 projetos previstos nas 12 cidades-sede, 20 foram excluídas, 21 viraram reformas e 68 estão em andamento.

Leia tudo sobre: copa 2014arena corinthiansfifaigsp

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG