Romário define como 'assustadora' a situação das obras da Copa do Mundo

Por iG São Paulo * |

compartilhe

Tamanho do texto

Para o ex-craque da seleção na Copa de 94 e atual deputado federal, o custo por assento das arenas no Brasil será quase o dobro do que foi pago nos dois últimos Mundiais

Futura Press
O ex-atacante e deputado federal Romário volta a mostrar preocupação com o andamento das obras da Copa 2014

O deputado federal Romário (PSB-RJ) divulgou detalhes que classificou como preocupantes sobre a situação das obras da Copa do Mundo de 2014. O ex-craque da seleção brasileira abordou nesta quarta-feira o recente debate realizado na Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado Federal.

"Os convidados trataram de assuntos polêmicos e revelaram informações gravíssimas", descreveu o Baixinho, em um comunicado oficial. "Participaram representantes do Tribunal de Contas da União, do Sindicato Nacional da Arquitetura e Engenharia e do Portal 2014, referência na fiscalização das obras dos megaeventos esportivos", emendou.

Segundo Romário, o custo por assento no Brasil (R$ 11.803) será quase o dobro das últimas duas Copas, na África do Sul-2010 e Alemanha-2006. Além disso, 11 das 42 obras de mobilidade urbana previstas (remanescentes das três versões da Matriz de Responsabilidade) não ficarão prontas. "A discussão foi produtiva e ao mesmo tempo assustadora", definiu Romário, sem esconder a preocupação.

O deputado federal ainda questionou a qualidade das obras dos estádios. Ele cita que o Mané Garrincha, em Brasília, apesar do custo de R$ 1,5 bilhão, apresenta goteiras e sistema precário de internet. "Fiquei sabendo por fonte segura que o sistema de climatização das áreas vips da arena ainda não foi concluído porque os aparelhos de ar condicionado não foram adquiridos até agora", emendou.

* Com Gazeta Esportiva

Leia tudo sobre: RomárioCopa 2014

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas