Pontapé inicial dado por paraplégico em exoesqueleto é quase ignorado no estádio

Por Marcelo Laguna iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Muito aguardada, demonstração do Projeto Andar de Novo apareceu por poucos segundos na transmissão oficial e também não ganhou destaque para a torcida no Itaquerão

Reprodução/TV
Momento da caminhada para o pontapé inicial foi ignorado pela TV e pouco visto pela torcida

Um dos momentos mais esperados na cerimônia de abertura da Copa do Mundo 2014, aquele no qual um paraplégico daria o pontapé inicial da partida, graças a um exoesqueleto criado pelo neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis, praticamente foi ignorado por quem estava dentro do Itaquerão.

Entenda como funciona o exoesqueleto criado pelo Projeto Andar de Novo

A estrutura metálica, que faz parte do projeto “Andar de Novo” e é baseada em uma interface cérebro-máquina e que ganhou o nome de “Brasil Santos Dumont” , estava sendo usada por um paraplégico, que ao lado de um dos bancos de reserva, deu o chute e teve sua imagem mostrada rapidamente na TV, já com o braço erguido após dar o chute. A expectativa era de que o voluntário se levantaria de uma cadeira de rodas e andaria cerca de 25 metros antes de dar o chute. Mas, como ele saiu de dentro do túnel de acesso aos vestiários, isso também não pôde ser visto nem por quem estava nas arquibancadas.

Internautas criticam cerimônia de abertura da Copa do Mundo

Mesmo com os empecilhos, porém, a equipe de Nicolelis celebrou o chute inicial. "Foi um grande trabalho de equipe e destaco, especialmente, os oito pacientes, que se dedicaram intensamente para este dia. Coube a Juliano usar o exoesqueleto, mas o chute foi de todos. Foi um grande gol dessas pessoas e da nossa ciência", afirmou o neurocientista.

Veja na galeria imagens do período de testes do Projeto Andar de Novo:

Projeto Andar de Novo, liderado por Miguel Nicolelis, ajuda paraplégico a andar com interação cérebro-máquina. Foto: bigBonsai + LenteViva FilmesProjeto Andar de Novo, liderado por Miguel Nicolelis, ajuda paraplégico a andar com interação cérebro-máquina. Foto: bigBonsai + LenteViva FilmesProjeto Andar de Novo, liderado por Miguel Nicolelis, ajuda paraplégico a andar com interação cérebro-máquina. Foto: bigBonsai + LenteViva FilmesProjeto Andar de Novo, liderado por Miguel Nicolelis, ajuda paraplégico a andar com interação cérebro-máquina. Foto: bigBonsai + LenteViva FilmesProjeto Andar de Novo, liderado por Miguel Nicolelis, ajuda paraplégico a andar com interação cérebro-máquina. Foto: bigBonsai + LenteViva FilmesProjeto Andar de Novo, liderado por Miguel Nicolelis, ajuda paraplégico a andar com interação cérebro-máquina. Foto: bigBonsai + LenteViva FilmesProjeto Andar de Novo, liderado por Miguel Nicolelis, ajuda paraplégico a andar com interação cérebro-máquina. Foto: bigBonsai + LenteViva FilmesProjeto Andar de Novo, liderado por Miguel Nicolelis, ajuda paraplégico a andar com interação cérebro-máquina. Foto: bigBonsai + LenteViva FilmesProjeto Andar de Novo, liderado por Miguel Nicolelis, ajuda paraplégico a andar com interação cérebro-máquina. Foto: bigBonsai + LenteViva FilmesProjeto Andar de Novo, liderado por Miguel Nicolelis, ajuda paraplégico a andar com interação cérebro-máquina. Foto: bigBonsai + LenteViva FilmesProjeto Andar de Novo, liderado por Miguel Nicolelis, ajuda paraplégico a andar com interação cérebro-máquina. Foto: bigBonsai + LenteViva FilmesProjeto Andar de Novo, liderado por Miguel Nicolelis, ajuda paraplégico a andar com interação cérebro-máquina. Foto: bigBonsai + LenteViva Filmes



Leia tudo sobre: copa 2014projeto andar de novo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas